Com a ascensão do malware em dispositivos móveis podemos concluir que, se algo está conectado à internet, há uma grande chance de sofrer um ataque cibernético.

Assim, embora a ascensão dos dispositivos conectados à Internet das Coisas tenha trazido uma série de benefícios aos usuários, na indústria, no local de trabalho e em casa. Ela também abriu as portas para novos esquemas criminosos cibernéticos.

O avanço desenfreado do desenvolvimento da IoT (Internet Of Things ou Internet Das Coisas) resultou em certa negligência a respeito da segurança cibernética de alguns dispositivos, o que significa que é relativamente simples para hackers infectar dispositivos conectados, desde sistemas de controle industrial até produtos domésticos e brinquedos infantis.

Um dos meios mais comuns em que a insegurança dos dispositivos de IoT é explorada é com ataques de malware que infectam secretamente os produtos e os colocam em um botnet.

À medida que mais dispositivos se conectam à internet, mais dispositivos estão se tornando alvos de botnets. O infame botnet Mirai.

Dispositivos como roteadores, sistemas inteligentes de iluminação, videocassetes e câmeras de vigilância podem facilmente ser infectados.

A rede de dispositivos infectados pelo Mirai consistia em grande parte em produtos IoT e era tão poderosa que paralisou grandes áreas da internet, retardando ou impedindo o acesso a vários serviços populares.

Embora os dispositivos infectados com o Mirai continuassem operando normalmente, esse não era o caso daqueles que encontravam seus produtos IoT infectados com BrickerBot, uma forma de malware IoT que resultou na emissão de novos alertas pela Equipe de Resposta a Emergências Cibernéticas (CERT) da Homeland Security. Dispositivos infectados com o BrickerBot têm seu armazenamento corrompido, levando-os a serem completamente inutilizáveis ​​e irrecuperáveis.

Assim como os celulares podem ser transformados em dispositivos de vigilância por hackers, o mesmo pode ser dito das câmeras conectadas à internet em casa. Já houve vários casos em que a segurança da câmera IoT foi considerada tão básica que o malware infectou um grande número de dispositivos.

Ao contrário dos telefones celulares, os dispositivos de IoT são frequentemente conectados e esquecidos, com o risco de que a câmera IoT configurada possa ser facilmente acessada por pessoas de fora, que poderiam usá-la para espionar suas ações, seja em seu local de trabalho ou em sua casa.

Essa é a extensão da preocupação de segurança com a Internet das Coisas, nos EUA a polícia alertou sobre as ameaças colocadas pelos dispositivos conectados, enquanto os órgãos governamentais estão trabalhando em maneiras de legislar dispositivos de IoT , para que não haja futuramente, bilhões de dispositivos que podem ser facilmente infectados com malware.

Deixe nossa Equipe surpreender você!

Agende uma apresentação

Clique aqui

soluções relacionadas

Sem comentários

Comentários estão fechados.