Telegram sofre ataque DDoS

Ataque DDoS no Telegram
O Telegram passou por um ataque DDoS na manhã desta quarta-feira (12), afetando usuários nas Américas e especialmente no Brasil, de acordo com o DownDetector. O aplicativo está no centro de uma controvérsia política no país, devido a um vazamento de mensagens trocadas pelo aplicativo entre o ministro da Justiça Sérgio Moro, o procurador Deltan Dallagnol e membros da força-tarefa da Lava Jato.

“Nós estamos passando por um ataque DDoS poderoso, usuários do Telegram nas Américas e alguns usuários em outros países podem sofrer problemas de conectividade.”

O Telegram afirmou que, em ataques do tipo, os servidores recebem inúmeras requisições desnecessárias que impedem o processamento das legítimas.

A empresa faz um paralelo com restaurantes: imagine uma legião de pessoas na fila do McDonald’s pedindo um whopper (sanduíche do Burger King). Então, o atendente fica ocupado dizendo para elas que foram ao lugar errado e deixa de atender quem foi ao restaurante certo. O aplicativo diz que é apenas este o efeito: sobrecarga. O ataque não é capaz de roubar o Big Mac ou a Coca de quem está na fila.
O Telegram lembra que ataques DDoS utilizam botnets compostas por computadores infectados por malware. No entanto, essa torrente de tráfego ruim apenas sobrecarrega os servidores, sem comprometer os dados dos usuários.

Telegram não foi hackeado

Sobre os vazamentos da Lava Jato, o Telegram explica que não encontrou evidências de invasão hacker a seus servidores. “Muito provavelmente foi malware, ou alguém que não usou uma senha de autenticação em dois fatores”, explicou a empresa no Twitter.

Por isso, o Telegram publicou um texto com três dicas de segurança para os usuários:

  • ative a verificação de duas etapas, utilizando uma senha adicional além do código enviado por SMS;
  • use os chats secretos caso você não queira suas conversas em um histórico na nuvem;
  • proteja seu celular ou PC, pois “nenhum app de mensagens pode proteger você contra pessoas que têm acesso a seu dispositivo”.

Leia também: Como Instituições Financeiras Podem Proteger-se Contra Ataques DDoS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *